quarta-feira, 18 de julho de 2012

Games: Diversão, entretenimento e algo mais.




Pra quem realmente gosta de games, jogar faz parte do cotidiano. Independente de quanto estejamos atarefados, buscamos sempre o mínimo de tempo para desfrutar de algumas horas ou minutos de jogatina. Mas esse tempo é por prazer?  Para “fugir” da realidade? Ou algo mais?
Muitas vezes me peguei jogando sem, de fato, me divertir. Apenas para passar o tempo enquanto aguardava um determinado horário ou pelo mais puro tédio. Acredito que isso aconteça também com muitas outras pessoas, que estão acostumadas com os games, jogam por jogar.
Os games são feitos em primeiro lugar para trazer dinheiro para os desenvolvedores e produtores (como quase tudo hoje em dia) e para o entretenimento de seus consumidores. Quando usamos a palavra entretenimento subentendesse que seja uma atividade prazerosa, sem nenhuma outra utilidade se não proporcionar bem estar e prazer.  Então porque muitas vezes jogamos sem realmente estarmos nós divertindo?


Os jogos possuem diversos temas, contos fantasiosos, historias pesadas, épicas e aquelas bobinhas que servem apenas de plano de fundo para o desenvolvimento do jogo. Caso haja uma identificação com algum elemento do jogo em si (como a jogabilidade, os personagens, a historia, etc) podemos ter uma espécie de projeção, sentirmo-nos no lugar em que o jogo acontece, dentro da própria historia. Ou seja, saímos da nossa realidade e por pouco tempo passamos a “ser” este ou aquele personagem. Da mesma forma acontece quando lemos um romance ou assistimos a um bom filme, porém nos jogos isso é mais fácil de acontecer, pois a experiência não é só visual ou sonora, mas engloba também outros fatores, como atividades motoras por exemplo.
Essa, em minha opinião, é a principal função dos jogos, fazer com que, por pouco tempo, não tenhamos os problemas do cotidiano: trabalho, estudos, relacionamentos, ficam em segundo plano.  Utilizamos os games como uma forma de escapar da própria realidade.


Por experiência própria acredito que essa fuga da realidade é algo bom. Nos últimos meses tive um problema serio e jogar videogame foi uma forma de aliviar essas angustias, mesmo que por pouco tempo. Conversando com outros jogadores percebi que muitos também faziam a mesma coisa, só não podemos esquecer que essa fuga deve ser por pouco tempo!